Sétimo domingo do tempo comum.

Amai os vossos inimigos
Pe Volmar Scaravelli, c.s.
Vivemos numa   sociedade  que padece de angustia.  Pareceria que o tédio e a angústia caíram sobre a nossa cultura. A angústia e a depressão  sempre existiram mas nunca em tamanha  proporção. Tudo isso apesar do bem-estar, do acesso aos bens materiais e `a informação que nossos avós jamais poderiam ter imaginado. O que é que está acontecendo? O que é que ainda nos está faltando?Nossa sociedade  pós-moderna sofre também de outro mal. A intolerância. O ódio, a raiva e a intolerância sempre existiram, mas nunca expressadas com tanta agressividade através das redes sociais como hoje.  O que há de errado entre nós? O que é que ainda nos está faltando?Nosso coração se alegra muito mais ao ver uma pessoa pagar pelos seus erros do que pelo bem que muitas outras pessoas realizam. Quem nunca desejou mal para a  pessoa que lhe roubou, que lhe traiu, que lhe prejudicou?   Quanto ódio expelido pela boca e   disseminado através do face-book, do WhatsApp, inclusive proveniente de pessoas   de quem jamais poderíamos esperar, como médicos, políticos, religiosos, gente que frequentam igrejas. O ódio, o desafeto e a raiva em forma exagerada e coletiva, são sintomas de que estamos emocionalmente doentes. Precisamos ser curados. Perguntemo-nos: Qual é a relação entre a angústia, a intolerância, o ódio com a falta de amor e de misericórdia? Haverá um remédio para nos curar desses males? (a angustia, a raiva, a intolerância, o ciúme exagerado)? Haverá alguma mágica ou fórmula para ser felizes e viver em paz?Jesus tem a fórmula, mas não é mágica. Ela exige  muita oração e muita boa vontade. No domingo passado nos ensinou a confiar mais em Deus do que nos bens materiais e nas pessoas. “Maldito o homem que confia no homem. E Feliz o homem que coloca sua esperança no Senhor”.   Neste domingo nos diz: “Amai os vossos  inimigos, fazei o bem a quem  vos odeiam, rezai por aqueles que vos caluniam. Se alguém te der uma bofetada na face direita, ofereça a esquerda… Sede misericordiosos como vosso Pai do Céu é misericordioso ”.E para ilustrar, Jesus  comenta a lei do Talião, que era uma lei da justa recompensa. Retribuir com a mesma moeda. Olho por olho e dente por dente. Era a base do sistema jurídico que ajudava fazer justiça em favor do mais fraco. Era justa mas não  misericordiosa, e  se hoje  fosse posta em prática,   viveríamos  entre caolhos e desdentados. A fórmula que  Jesus nos ensina é  não pleitear. Antes,  pagar o mal com o bem,  porque violência gera violência. Somente o amor e a misericórdia vencem a violência.Então, quando  alguém te ofender ou prejudicar a tua família, e o sangue te subir nos olhos e ficas enfurecido, lembre as palavras de Jesus ” Rezai por aqueles que vos perseguem”. Isto te protegerá de maus momentos,  sentirás paz em teu coração e  possivelmente ficarás surpreendido ao ver o teu adversário mudar de atitude. Perdoar traz muitos benefícios e   muitas  soluções. Só o verdadeiro amor vencerá a maldade. Com o coração em paz sentirás menos angustia.Reze todos os dias a Deus  para que nunca retire a mão de sobre tua cabeça. Conheço gente boa, trabalhadora, responsável, generosa, que  está atrás das grades pagando com 20 anos de prisão por um minuto de falta de controle de seu sentimento de raiva e intolerância.Preste atenção aos  pensamentos que atravessam pela tua  mente. Desvie a atenção dos pensamentos de raiva, de ódio, de vingança do teu coração. E sempre reze por aqueles que te querem mal.Essa é a fórmula, esse é o caminho da perfeição que Jesus nos indica no evangelho de hoje.

Share
Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2014 Apostolado Brasileiro | Unindo Católicos Brasileiros na Grande Boston.
Siga-nos:                   

Facebook