deus e o dinheiro

dinheiroDeus é Pai e Mãe

Pe Volmar Scaravelli, c.s.

Depois de ouvir uma série de conselhos de Jesus de como viver esta vida no amor de Deus e ao próximo, a liturgia deste último domingo antes da quaresma nos ajuda a contemplar a verdadeira imagem de Deus: Deus é como uma mãe carinhosa e como um pai providente.

Na primeira leitura Deus é comparado a uma mãe. “Poderá uma mãe esquecer do seu filhinho…? Mesmo se houvesse alguma mulher capaz de esquecer do filho, eu não te esqueceria jamais. ” É a expressão bíblica mais profunda e eloquente da ternura maternal de Deus. A Mãe não ama o seu filho porque ele é bom, mas porque é seu filho.

E no evangelho, Deus é comparado a um Pai providente que cuida dos seus filhos, e provê pelas suas necessidades. Por isso “não vos preocupeis com o que ireis comer, com o que ireis vestir e nem com o dia de amanhã”.

 Todos nós nos preocupamos com o dia de amanhã. E é justamente por isso que os nossos corações estão permanentemente inquietos. Enquanto nos preocupamos, Jesus nos convida a confiar em Deus.

Santo Agostinho, um dos maiores teólogos da Igreja que viveu há quase mil e setecentos anos atrás, era um jovem africano que procurava dar sentido à sua vida. No princípio buscou a felicidade nos prazeres da carne: beber, comer e fazer sexo. Quando percebeu que isso deixava a sua alma vazia, começou a seguir as filosofias orientais. Pareciam mais sofisticadas e mais atraentes do que a Bíblia. Porém, algo dessas filosofias parecia falso. Então dedicou-se a ganhar muito dinheiro. Mas em certo momento experimentou uma intervenção divina em sua vida e acabou entregando-se totalmente a Deus. Em seu livro “As Confissões” ele resumiu a sua eterna procura assim: “Nos fizestes Senhor para Vós, e nosso coração está inquieto até não descansar em Vós”.

Através dos séculos, milhares de cristãos passaram pela mesma experiência de Agostinho e seguiram o seu ensinamento. Nossos corações estão inquietos e só Deus pode dar-nos a paz verdadeira. O Salmo de hoje reza: “ Só em Deus a minha alma tem repouso”.

Mas o normal da vida é que nos preocupemos pelo presente e pelo futuro. Preocupação é uma sobreposição de ocupações e isso leva ao stress. Ademais das preocupações, há quem se caracteriza pela desorganização. A desorganização aumenta o stress. Se formos capazes de organizar melhor nossa vida, tendo primeiro, um objetivo claro, e logo organizar os horários, as tarefas, a roupa, a casa, e especialmente a vida espiritual. Então tudo fica mais simples e não deixamos de ter essa sensação de cansaço, e de stress.  Jesus nos convida a preocupar-nos pelo mais importante que é o Reino de Deus e sua justiça; isto é: estar sob o domínio de Deus; e o demais nos será dado por acréscimo.

Quais são as preocupações que nos estressam? Medo das doenças, preocupação pelas ameaças do Departamento de Migração, do próprio Presidente, preocupação com o futuro dos filhos, com a nossa velhice, com a falta de dinheiro, todas preocupações legítimas. Mesmo assim, a proposta de Jesus é válida: seguir trabalhando sem deixar levar-se pelo medo, pela angústia, pelo stress. “O dia de amanhã terá as suas preocupações”. Tentar resolver os problemas do dia a dia com equilíbrio sem perder a alegria da vida.

ConsumismoA preocupação exagerada pelas coisas materiais nos leva ao consumismo. Suas consequências são terríveis: converte as pessoas em máquinas de produção e de consumo de bens; bloqueia a solidariedade, a partilha, a fraternidade e favorece o egoísmo e a exploração; e torna-nos escravos das coisas materiais. “Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro”.

A proposta de Jesus é alicerçar a nossa vida em Deus que é Pai e Mãe a quem servimos com amor e por quem nos sentimos amados e protegidos.

 Essa confiança não é alienante, não nos exime da nossa responsabilidade das tarefas de cada dia, nem nos permite fugir dos nossos compromissos, mas seguramente nos traz a paz que Santo Agostinho encontrou: a Paz de quem sabe viver o tempo presente e de quem coloca a sua confiança não em deuses falsos e efêmeros, mas no Deus da Vida que cuida da erva do campo e das aves do céus e muito mais cuida de você e de mim, homem ou mulher de pouca fé.

” Só em Deus a minha alma tem repouso”.

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2014 Apostolado Brasileiro | Unindo Católicos Brasileiros na Grande Boston.
Siga-nos:                   

Facebook