Segundo encontro

josé e mariaCom Maria e José preparando a vinda do Senhor!

 Dirigente: Neste segundo encontro, observamos como Maria, com humildade, aceita ser a mãe do Salvador. José, que sabia que o filho não era dele, pensou em protegê-la desaparecendo para ser considerado um pai que não assumiu seu filho e salvar Maria da condenação que havia, na época, para mulheres que traíam seus esposos. No entanto, ouvindo a voz do Anjo, José refaz seus projetos e aceita o plano de Deus: assumir, junto com Maria, o Menino Jesus e protegê-lo como pai zeloso.

Canto de abertura: (a escolher)

Dirigente: Gratos ao amor de Deus que nos reúne, iniciamos nosso encontro:

Todos: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém!

Hino: (todos juntos)

São José, do céu a glória, esperança verdadeira que reluz na nossa vida, proteção de todo o mundo, ouve os cantos e louvores da Igreja agradecida.

A ti, filho de Davi, como esposo de Maria escolheu o Criador. Quis que fosses pai do Verbo e da nossa salvação diligente servidor.

Reclinado no presépio, o Esperado dos profetas, Redentor do mundo inteiro, tu contemplas, venturoso, e, unido à Virgem Mãe, o adoras por primeiro.

O Senhor e Deus do mundo, Rei dos reis, a cujo aceno se ajoelha o céu fulgente e os infernos estremecem, revestindo a nossa carne, fez-se a ti obediente.

Glória eterna à Divindade, Unidade na Trindade, Deus imenso, Sumo Bem, que te deu tão grande graça. Por ti, dê-nos sua vida e alegria eterna. Amém.

Dirigente: Ó Deus todo-poderoso, concedei aos que gememos na antiga escravidão, sob o jugo do pecado, a graça de ser libertados pelo novo Natal do vosso Filho que tão ansiosamente esperamos. Por Cristo, nosso Senhor.

Todos: Amém!

Um homem: Ó Pai, a tua luz ilumina este nosso grupo e o silêncio é a oração deste dia: Pai querido, ouve-nos! Queremos oferecer-te a nossa família, os momentos de alegria, os nossos trabalhos, os nossos tropeços e pecados. Volva o teu olhar sobre o rosto de cada um de nós aqui presente.

Todos: Vem Senhor com amor, Salvar teu povo

Um rapaz: Pai, tu habitas o céu, mas nos deixaste aberto o teu coração; dá-nos a coragem do amor para te levar lá onde a alegria e a paz estão ausentes. Tu que vês as lágrimas e as fadigas; tu que conheces as nossas necessidades: dá-nos o pão de cada dia e sem medo do amanhã o dividiremos com quem não o tem.

Todos: Vem Senhor com amor, salvar teu povo.

Um avô: Perdoa-nos as ofensas, Pai, como perdoamos aqueles que nos ofenderam. Fica sempre conosco; não nos abandones quando a estrada da vida se torna pedregosa. Pai, salva-nos do mal. Diante das tentações que nos atacam fortalece-nos para que vença em nós o amor. Contigo construiremos o mundo como tu o queres, belo como o Céu.

Todos: Vem Senhor com amor, salvar teu povo

 Dirigente: Aclamemos o Evangelho com alegria, escutemos com ternura a voz de Deus que nos fala. Cantemos

Aclamação: (Canto a escolha)

Dirigente: Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo Segundo Mateus. ( Mt 1,18-24)

Todos: Glória a vós Senhor!

A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo. José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria, em segredo. Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho, e lhe disse: ‘José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados’. Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: ‘Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emanuel, que significa: Deus está conosco.’ Quando acordou, José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado, e aceitou sua esposa.

— Palavra da Salvação!

Todos: Glória a vós, Senhor!

 Vamos meditar!

Dirigente: Continuemos acompanhando o documento a alegria do Evangelho e compreendamos como é desafiante no mundo moderno viver a alegria que brota do encontro com Deus.

Leitor 1: A tentação apresenta-se, frequentemente, sob forma de desculpas e queixas, como se tivesse de haver inúmeras condições para ser possível a alegria. Habitualmente isto acontece, porque «a sociedade técnica teve a possibilidade de multiplicar as ocasiões de prazer; no entanto ela encontra dificuldades grandes no engendrar também a alegria». Posso dizer que as alegrias mais belas e espontâneas, que vi ao longo da minha vida, são as alegrias de pessoas muito pobres que têm pouco a que se agarrar. Recordo também a alegria genuína daqueles que, mesmo no meio de grandes compromissos profissionais, souberam conservar um coração crente, generoso e simples. De várias maneiras, estas alegrias bebem na fonte do amor maior, que é o de Deus, a nós manifestado em Jesus Cristo.

Todos: Alegrai-vos no Senhor, repito alegrai-vos.

Leitor 2: Não me cansarei de repetir estas palavras de Bento XVI que nos levam ao centro do Evangelho: «Ao início do ser cristão, não há uma decisão ética ou uma grande ideia, mas o encontro com um acontecimento, com uma Pessoa que dá à vida um novo horizonte e, desta forma, o rumo decisivo.”

Todos: Alegrai-vos no Senhor, repito alegrai-vos.

 Leitor 2: Somente graças a este encontro – ou reencontro – com o amor de Deus, que se converte em amizade feliz, é que somos resgatados da nossa consciência isolada e da autorreferencialidade. Chegamos a ser plenamente humanos, quando somos mais do que humanos, quando permitimos a Deus que nos conduza para além de nós mesmos a fim de alcançarmos o nosso ser mais verdadeiro. Aqui está a fonte da ação evangelizadora. Porque, se alguém acolheu este amor que lhe devolve o sentido da vida, como é que pode conter o desejo de o comunicar aos outros?

Todos: Senhor vem salvar teu povo das trevas da escuridão só tu es nossa esperança, só tu es nossa salvação.

Dirigente: Em meio a tantas dificuldades, José e Maria trilharam o caminho da humildade e da paz. Roguemos que, apoiando-nos uns aos outros, sejamos enriquecidos no caminho da Santidade.

1 – Senhor Deus, que chamastes os nossos pais na fé para caminharem na vossa presença com um coração perfeito.

– fazei que, seguindo os seus passos, alcancemos a perfeição de acordo com a vossa vontade.

Todos: Ó Senhor, escutai nossa prece!

2 – Vós, que escolhestes São José, homem justo, para cuidar de vosso Filho na infância e juventude.

– fazei que sirvamos em nossos irmãos e irmãs o Corpo místico de Cristo.

Todos: Ó Senhor, escutai nossa prece!

3 – Vós, que destes a terra aos seres humanos para que a povoassem e dominassem.

– ensinai-nos a trabalhar corajosamente neste mundo, buscando sempre a vossa glória.

Todos: Ó Senhor, escutai nossa prece!

4 – Pelos falecidos de nossas famílias e de nossa comunidade e, também, pelos falecidos que foram recomendados à oração do nosso grupo, rezemos ao Senhor:

Todos: Ó Senhor, escutai nossa prece!

5 – Por nossas famílias: que os pais e mães amem seus filhos e sejam, também, amados por eles, rezemos ao Senhor:

Todos: Ó Senhor, escutai nossa prece!

6 – Para que saibamos criar nossos filhos com o mesmo amor que José e Maria educaram Jesus. Rezemos ao Senhor.

Todos: Ó Senhor, escutai nossa prece!

(preces espontâneas)

Dirigente: Guiados pelo Espírito de Jesus e iluminados pela sabedoria do Evangelho, ousamos dizer: Todos: Pai Nosso…

Todos: Deus todo-poderoso, pelas preces de São José, a quem confiastes as primícias da Igreja, concedei que ela possa levar à plenitude os mistérios da salvação. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém

 Cântico Evangélico (Benedictus) Lc 1, 68-79

Dirigente: Antes de rezarmos o Benedictus vamos ouvir um pouco nossos irmãos. Qual foi o maior desafio encontrado na vida de imigrante nos Estados Unidos? (Deixar partilhar e em seguida reza-se)

Rezemos com Zacarias, agradecendo ao Pai por enviar seu Filho e nos dar a salvação.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel, que a seu povo visitou e libertou; e fez surgir um poderoso Salvador na casa de Davi, seu servidor, como falara pela boca de seus santos, os profetas desde os tempos mais antigos, para salvar-nos do poder dos inimigos e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais, recordando a sua santa Aliança e o juramento a Abraão, o nosso pai, de conceder-nos que, libertos do inimigo, = a ele nós sirvamos sem temor em santidade e em justiça diante dele, enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino, pois irás andando à frente do Senhor para aplainar e preparar os seus caminhos, anunciando ao seu povo a salvação, que está na remissão de seus pecados; pelo amor do coração de nosso Deus, Sol nascente que nos veio visitar lá do alto como luz resplandecente a iluminar a quantos jazem entre as trevas e na sombra da morte estão sentados e para dirigir os nossos passos, guiando-nos no caminho da paz.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Dirigente: Vamos, juntos, pedir a bênção de Deus para esta casa que hoje nos acolheu.

Todos: Abençoa, Senhor Jesus, esta casa; abençoa a família que aqui mora. Que haja paz e harmonia entre todos. Não lhes falte o pão de cada dia e, aqui, todos possam sentir a tua presença amiga e serena. Amém!

Gesto Concreto

Dirigente: Vamos celebrar bem o Natal! Este é um momento propício de prepararmo-nos para uma boa confissão. Vamos convidar alguém mais a comparecer aos próximos encontros, incentivando a participação na Missa da Noite de Natal.

Dirigente: Com fé e amor em nossos corações, encerramos nosso encontro: “O Senhor nos abençoe, nos livre de todo mal e nos conduza à vida eterna”.Todos: Amém!

Dirigente: Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo. Todos: Para sempre seja louvado.

Canto Final (a escolher)

Share Button
Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2014 Apostolado Brasileiro | Unindo Católicos Brasileiros na Grande Boston.
Siga-nos:                   

Facebook