OS NOSSOS TRÊS!

“Ó meus “Três”, meu tudo, minha beatitude, solidão infinita, imensidade onde me perco, entrego-me a vós como uma presa, sepultai-vos em mim, par que eu me sepulte em vós, enquanto espero ir contemplar em vossa luz o abismo de vossa grandeza”.

(S. Elisabeta da Trindade, A Trindade que habita em nós, Paulinas, São Paulo 1984, p. 58)

Evangelho: Jo 3, 16-18

“Amou tanto o mundo” (v.16)

O motivo da vinda de JC e a fonte principal da nossa salvação é o amor de Deus. Aqui aparece pela primeira vez o verbo importante “αγαπαω” (= agapao) em João: é o amor de Deus que abraça gratuitamente a humanidade toda, sem nada esperar em troca. (Cfr.1 Jo 3,1; 4,9-11 e Rm 5,8; 8,32)

“Lhe deu seu Filho”

Esta é a prova do amor de Deus: dar = entregar. (Cfr. 1 Jo 4,10). Esta afirmação de Jesus diz respeito de forma especial à Paixão evocada poucos versículos antes (3,14) com a citação da passagem da serpente de bronze (Nm 21,4-9). De resto a primeira carta de João a atesta com clareza. (4,10)

“Tenha a vida eterna”

Não se trata de fazer-nos encontrar uma fuga da morte física, mas, de fazer-nos entrar numa vida onde esta morte não pode dominar: é a VIDA divina.

“O mundo seja salvo por Ele”(v. 17)

 Jesus veio para salvar não para condenar. Deus envia o Filho com uma finalidade sublime. Salvação exige dois passos: a) afastar-se do pecado (= não aceitar Jesus), b) assumir a vida de Deus.

“Quem nele crê”. (v.18)

Deus quer oferecer esta salvação sem reservas, mas, lembra apenas que a única maneira de obter esta salvação é crer e não tem outra. Não crer é rejeitar a salvação gratuita de Deus.

Ler a vida com a Palavra

A Santíssima Trindade, um só Deus em três pessoas Pai, Filho, Espírito Santo, é o primeiro mistério principal de nossa fé e a plataforma do segundo que é Encarnação, Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. É uma verdade revelada pela Escritura a vida íntima de Deus! E Jesus nada ensinou que não possa ser vivido!

De fato a Trindade está em nós, esta vida está dentro de nós, e ao nosso redor. Nós temos como que um DNA espiritual: a Família Trindade. E um exemplo eficaz da SS. Trindade é justamente a família humana: pessoas diferentes, mas unidas no amor ao ponto de formar uma unidade.

Olhe a maravilha da liturgia e da Palavra de hoje: ouvimos falar no Evangelho de amor de Deus pelo mundo, de vida eterna, de salvação; na primeira leitura (Ex.34,60) escutamos uma palavra maravilhosa: Deus rico de amor e misericórdia, fidelidade; na segunda leitura (2 Cor 13,11-13) cheia de ternura, se fala de paz, de amor, de graça e comunhão… Pensando bem o Céu está ao nosso alcance!

A SS. Trindade é uma “comunidade de amor” (S. Agostinho): um só Deus em três pessoas iguais e distintas unidas no amor. Deus não é um Deus solitário! É um Mistério, pois, o que vem de Deus não pode ser entendido por completo, de outra forma Deus não seria mais Deus, mas o que conta não é tanto entender, e sim viver, acolher. Com os dons do Espírito Santo (lembra domingo passado?) podemos crescer no conhecimento, na vida, no amor, na medida em que cremos. Isto é o que conta!

Por que Deus revelou esse Mistério? Porque nos ama, ele revelou os segredos íntimos da sua vida divina e nos INTRODUZIU NA SUA FAMÍLIA.

a)Em nós está o PAI, que nos chamou do nada e nós insuflou o sopro da vida, nos deu um nome, nos confiou uma missão;

b)Em nós está o FILHO, que entregou sua vida por nós e por isso percebemos que todo nosso problema, dificuldade, ou sofrimento tem um sentido.. E compreender isto é uma graça e tanto!

c)Em nós está o ESPÍRITO SANTO que nos ilumina e fortalece nos caminhos de Deus e nos santifica.

E isto tudo pelo Batismo! A SS.ma Trindade em nós é presença de santidade, pois, somos a imagem e semelhança dela. Daí brotam adoração, amor, partilha, serviço, a caridade com cada pessoa, a valorização de cada pessoa, cultura, o construir a Igreja e lutar pelo mundo de amor e justiça, o olhar de misericórdia… Coloque-se diante deste oceano mergulhe n’Ele e deixe Ele te possuir…

Orar e contemplar a SS.ma Trindade

a) Silenciar com a Trindade. Silencie um instante para poder sentir-se envolvido (a) totalmente por Deus e “assumido” (a) por Ela, mas não eliminado (a) ou absorvido (a). Mesmo sem nos perceber, carregamos conosco este mistério: de fato, caminhamos, paramos, pensamos, dormimos, rezamos e até pecamos em nossa fragilidade e Ela está aí com sua Presença! Bem, na verdade, deveríamos nós perguntar se na verdade somos nós que carregamos a Trindade ou se é Ela que nos carrega. E por ser “Família” a SS.ma Trindade é princípio ativo de toda comunhão de vida, seja ela família, VRC, comunidade paroquial e até comunidade humana e social. Não é bonito tudo isso?

b) Conversar com a SS. Trindade Converse com cada pessoa da SS. Trindade: como filho/a com o Pai, como irmão/ã com o Filho, como necessitado/a de amor com o Espírito Santo.

c) Viver em cada momento No dia-dia cada graça, cada momento vivido em Deus, cada “kairós” da vida é uma epifania da Trindade! Impossível viver sem “Ela”. Amém!

Pe. Mário Guinzoni OSJ m.armeno@gmail.com

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2014 Apostolado Brasileiro | Unindo Católicos Brasileiros na Grande Boston.
Siga-nos:                   

Facebook