joao-batista-e-discipulosA alegria de quem acredita e ama (3o. Adv.)

Pe Volmar Scaravelli,c.s.

A alegria é o tema central deste terceiro domingo do advento chamado também de “Domenica Gaudete”, domingo da alegria porque a primeira palavra da antífona reza: “Alegrai-vos sempre no Senhor, eu repito, alegrai-vos” Fl 4,4.

E a primeira leitura é um hino à alegria. O profeta deseja fortalecer a esperança do povo porque atravessava seus piores momentos da história: Jerusalém e o Templo foram destruídos e o povo deportado para a Babilônia.

A leitura nos mostra que quem vive exilado, como o povo no tempo de Isaías, às vezes  sem nenhuma expectativa de uma vida melhor,  ou então prisioneiro de dúvidas como João Batista no evangelho de hoje,  corre o risco de perder a esperança e a alegria.

O povo dava mostras de cansaço, interrogações , havia um grito para que o Messias viesse a libertá-lo. Isaias responde com promessas que seriam realizadas por Deus. O deserto irá florir, a tristeza se converterá em alegria, Deus enviaria o Salvador e Ele libertará os cegos, os coxos e os mudos de suas doenças. Haverá um mundo novo.

João Batista, preso, entra em dúvida se Jesus era o verdadeiro Messias esperado. Ele mesmo havia anunciado um Libertador poderoso e severo que viria com um machado para cortar a árvore que não produzisse bons frutos e condenar os pecadores que não se arrependessem.

Mas Jesus não age como um juiz escatológico e nem se apresenta como um Messias de manifestações extraordinárias para subjugar os outros povos, mas como servidor da vida: Ele vem para recriar o homem e a mulher, dar vista aos cegos, liberdade aos presos, alegria aos tristes. Por isso, João envia discípulos para perguntar: “És tu aquele que há de vir, ou devemos esperar por outro”?

Toda alegria tem uma fonte e uma causa que a provoca e cria. A alegria é um estado de espírito. As fontes da alegria podem ser várias mas o amor é  a principal. Onde existe egoísmo, raiva, ódio a alegria não se sustenta porque a pessoa acaba  encontrando  o vazio interior. Muitos não encontram a alegria porque não amam ou não se sentem amados e tampouco  sabem que Deus os ama.

Você quer  ser uma pessoa mais feliz? Um marido mais feliz? Uma esposa mais feliz? Um jovem mais feliz? Em definitiva, é isso que  todos  queremos e buscamos: ser mais felizes. E mais, gostaríamos que as pessoas com quem convivemos também fossem mais felizes. Ninguém gosta de viver com pessoas amarguradas, tristes, negativas.

Sabemos que existem motivos e situações que podem tirar a alegria da gente, por exemplo: o medo pelo que poderia acontecer, medo de ficar doente, uma derrota, os fracassos, a falta de um documento, a tragédia com um avião ou um terremoto, o sentimento de culpa que martela a nossa consciência ou ainda mais, o não sentir-se querido, amado, aceito.

Jesus mostra a João que suas obras são de amor e de libertação: os cegos, os coxos, os leprosos, os pobres, os mortos… todos estarão melhor. Deus está no meio de nós e isso é motivo suficiente para se viver a esperança e a alegria. Para Paulo, a razão principal da nossa esperança e alegria é a proximidade do Senhor.

É o que proclama a celebração de hoje: a alegria  da presença de Deus no meio do povo. Por isso  chama-se  domingo da alegria. Quando a pessoa e a comunidade se abrem ao Senhor e permitem que Ele se torne o único guia da existência, tudo se transfigura: encontra-se paz e alegria. E então essa alegria do discípulo de Jesus não é algo emocional, que nasce da auto realização ou da ausência de dificuldades, pelo contrário, é força do Espírito que faz o cristão  enxugar as lágrimas do irmão e que transforma seu coração e seus braços nos do bom samaritano atento ao sofrimento dos demais.

Poderíamos  fazer uma lista de cinco, dez ou vinte coisas que necessitamos para  ser mais felizes.

Hoje a liturgia se refere a duas  em especial: A proximidade de Deus e as obras de amor.

A pessoa que crê na presença de Deus em sua vida,  não pode ser uma pessoa triste. “Um santo triste é um triste santo”. Quem vive em Deus e Deus em seu coração, sente alegria, quem tem alegria ama o seu irmão e ama a Deus e quem ama está em Deus  é feliz.

Seja feliz com o que você tem e como você é, e faça que os “surdos” fechados no seu pequeno mundo sem diálgo encontrem em ti a Palavra que os desperte para a comunicação; que os “cegos” de egoísmo e de raiva encontrem em ti um sinal da paz de Deus; que os “coxos” encerrados atrás das grades do desânimo, encontrem em ti um sinal da luz de Jesus; que os pobres sem voz, sem vez e sem fé encontrem em ti o amor de Deus.

Seja feliz porque Deus está próximo Ele é Emanuel, é um Deus-conosco e te ama.

http://www.paulinas.org.br/webtv/?system=videos&id=1178

Share Button
Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2014 Apostolado Brasileiro | Unindo Católicos Brasileiros na Grande Boston.
Siga-nos:                   

Facebook