cf 2015cartazTextos: Ex 12, 1-8. 11-14; 1 Co 11, 23-26; Jo 13, 1-15

Ideia principal: Tanto os gestos e ações, como as palavras e os silêncios de Jesus são quase “sacramentos” de Cristo que realizam o que significam e demostram a seriedade e a sublimidade do momento.

Síntese da mensagem: Com a missa de hoje damos por concluída a Quaresma e iniciamos o Tríduo Pascal, que abarcará os três dias seguintes: Sexta-feira, Sábado e Domingo. Tradicionalmente na manhã desta Quinta-feira se celebrava a missa de reconciliação dos que durante a Quaresma tinham feito o caminho dos “penitentes”. A missa de hoje recorda a instituição da Eucaristia, a mandamento do amor fraterno e a instituição do ministério sacerdotal.

Pontos da ideia principal:

Em primeiro lugar, os gestos. Primeiro gesto: Jesus se levanta da mesa, tira o manto, pega a toalha, se cinge, põe ague num jarro e lava os pés dos discípulos. Todas as ações são sinal visível de um significado invisível, portador da graça divina aqui e agora para nós. Com esse primeiro gesto, Jesus estava entregando à sua Igreja o mandamento da caridade fraterna e do serviço eclesial; todos somos irmãos e com a mesma dignidade. Segundo gesto da Quinta-feira Santa: o pão e o vinho que Ele consagra, convertendo-os no seu Corpo glorioso e no seu Sangue abençoado para a nossa transformação Nele e alimento para o caminho. Terceiro gesto: impõe as mãos sobre os doze discípulos, fazendo-os seus sacerdotes, continuadores dos seus mistérios de salvação. E eles, a seu tempo, deverão continuar com essa corrente, prolongando o sacerdócio de Cristo por todos os cantos da terra, quem Deus chamou a tão sublime vocação.

Em segundo lugar, as palavras que realizam o que significam, pois são eficazes. Primeira palavra: “Amai-vos uns aos outros, como Eu vos tenho amado”,imperativo que podemos viver com graça de Cristo. Segunda palavra: “Tomai e comei… Tomai e bebei”, imperativo que transformou em realidade o que tinha sido uma figura na Páscoa judaica; Cristo será o Cordeiro de Deus e em cada Eucaristia fazemos presentes a nova ceia pascal inaugurada por Cristo nessa Quinta-feira Santa, pois cada vez que se celebre este rito se recordará a morte do Senhor até o dia da sua vinda. Terceira palavra: “Fazei isto em memoria de mim”; palavra esta que a Igreja sempre meditou e na que fundamentou o sacramento da Ordem Sacerdotal, pelo que um homem de carne e osso é configurado com Cristo Cabeça e Pastor, quem com o seu ministério sacerdotal faz visível Cristo na comunidade. 

Finalmente, os silêncios. Quantos silêncios nesta noite santa da Quinta-feira! Silêncio da alma e da sua vontade para não gritar ao Pai diante da Paixão que se avizinhava e que seu Pai quis para nos redimir. Silêncio dos sentimentos que nesses momentos estavam convulsionados diante da traição de Judas, a resistência de Pedro, o abandono do resto dos apóstolos, a prisão e a agonia… Sentimentos para serem controlados, sublimados. Silêncio das suas paixões irascíveis, submetidas todas à força e ao bálsamo do amor. Silêncio dos olhos para ver todos com os olhos misericordiosos do Pai, sem ódio, sem reprimendas; só derramariam lágrimas e manifestavam um véu de tristeza. Silêncio da boca, para só pronunciar essas palavras sacramentais, e guardar as suas palavras de queixas, para crucificá-las na cruz na Sexta-Feira Santa. Silêncio dos pés para não ir procurar consolos humanos, mas se prostrar no chão em oração ao Pai.     

Para refletir: Agradeço todos os dias o dom da Eucaristia, do Sacerdócio e do Mandamento da caridade? Vivo a Eucaristia cada com mais fervor e me compromete a ser eu Eucaristia para os meus irmãos mediante o sacrifício da minha vida? Trato todos os homens e mulheres como irmãos em Cristo e os trato como trataria Cristo? Rezo todos os dias pelos sacerdotes e lhes agradeço pelo serviço insubstituível que realizam para o bem da minha alma?

Para rezar: Senhor, obrigado pelo dom da Eucaristia, que vos comamos e vos assimilemos com a alma limpa. Obrigado, pelo mandamento da caridade fraterna que cura os nossos egoísmos e ambições. Obrigado, por dar-nos sacerdotes segundo o vosso coração; guardai-os na fidelidade a Vós e a vossa Igreja.

Fonte:Zenit

Share Button
Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2014 Apostolado Brasileiro | Unindo Católicos Brasileiros na Grande Boston.
Siga-nos:                   

Facebook