pentecostesTextos: Atos 2, 1-11; 1 Cor 12, 3b-7.12-13; Jo 20, 19-23

Ideia principal: Eu creio no Espírito Santo, que é Deus.

Síntese da mensagem: Creio no Espírito Santo, Senhor e Dador de vida, que procede do Pai e do Filho, que com o Pai e o Filho recebe uma mesma adoração e glória, e que falou pelos profetas e conduz a Igreja à verdade completa, e as almas dos homens à santidade, sempre e quando abram a porta e possam dar pousada para Ele como Hóspede divino.

Pontos da ideia principal:

Em primeiro lugar, um pouco de história do dogma sobre o Espírito Santo. De maio a julho do ano 381, o imperador Teodósio I reuniu em Constantinopla 185 bispos do Oriente e do Ocidente: 150 a favor e 36 contra o Espírito Santo. Os 36 diziam: o Espírito Santo não é Deus. Os 150 diziam: é Deus. O concílio disse: o Espírito Santo “cum Patre et Filio adoratur et conglorificatur” (recebe uma mesma adoração e glória com o Pai e o Filho) e, portanto, é Deus que procede do Pai e do Filho. Dito concílio condenou e excomungou, e o imperador desterrou e expropriou templos e impôs ao império o Credo Niceno-Constantinopolitano, o mesmo que hoje rezamos nas igrejas já faz 1.400 anos. Tantas lutas e tantos concílios custava fundar a linhagem dos cristãos, tantas heresias e condenas, montar peça por peça, dogma por dogma, o Credo no qual vivemos, rezamos e morremos!     

Em segundo lugar, o Espírito Santo tem uma longa biografia no Antigo e no Novo Testamento. Desde a primeira página do Gênesis já se fala da existência eterna do Espírito que “pairava sobre as águas”. Ele foi quem equipou de fé o patriarca Abraão e o enviou como missionário a terras idolátricas; encheu de força Sansão, de astúcia Judite. O Espírito Santo fez visionário de acontecimentos futuros Isaias que anunciou a encarnação de Deus; o que ungiu Davi como rei; o que inspirou Ezequiel a promessa de Deus de tirar o nosso coração de pedra e de colocar em nós um coração espiritual. E digamos alguns episódios do Novo Testamento para não alargar a história: o Espírito Santo ilumina e convence Maria de Nazaré para ser Mãe de Deus; e conduz Jesus ao deserto; o que contagia e reveste os apóstolos de ousadia e de força para ir pelo mundo inteiro para pregar o evangelho, testemunhando a sua fé com o seu sangue. Haveria mártires sem o Espírito Santo? Haveria virgens que se consagrariam a Cristo em corpo e alma, sem o Espírito Santo? Haveria homens que deixariam tudo para se configurar com Cristo, Cabeça e Pastor, sem o Espírito Santo? Haveria leigos bem comprometidos com a causa da Igreja e da evangelização sem o Espírito Santo? Portanto, o Espírito Santo é o protagonista da história sagrada e eclesial, pessoal e comunitária. O Espírito Santo dirige os destinos da Igreja através de tantos séculos.         

Finalmente, por isso, eu hoje neste dia de Pentecostes quero reafirmar a minha fé profunda e sólida no Espírito Santo, que é o Espírito de Cristo: espírito de justiça, dignidade, verdade, santidade, graça. E porque preciso Dele, eu creio no Espírito da Igreja com o seu programa de amor contra o egoísmo que campeia o nosso mundo, que o avassala e paganiza; da verdade eterna contra o erro aberrante e ensurdecedor; da virtude contra o pecado demolidor e camuflado. Eu creio no Espírito de Deus, que cada manhã fala com o meu espírito de homem e o aconselha, corrige, insinua, manda, proíbe, tonifica, ensina a saber pesar e distinguir bem estas coisas do coração, do corpo, das lágrimas e dos risos, dos estados terminais da alma, a glória, a eternidade e Deus.  

Para refletir: Como é a minha relação com o Espírito Santo no meu dia-a-dia? Inspira os meus pensamentos, purifica o meu coração, fortalece a minha vontade? Lança-me a pregar Cristo sem vergonha e com audácia e alegria?

Para rezar:

Ó Espírito Santo,

Amor do Pai, e do Filho,

Inspirai-me sempre

O que devo pensar,

O que devo dizer,

Como devo dizer,

O que devo calar,

Como devo agir,

O que devo fazer,

Para a glória de Deus,

Para o bem das almas

E para a minha própria Santificação.

Espírito Santo,

Dai-me agudeza para entender,

Capacidade para reter,

Método e faculdade para aprender,

Sutileza para interpretar,

Graça e eficácia para falar.

Dai-me acerto para começar

Direção para progredir

E perfeição ao acabar.

Amém.

Qualquer sugestão ou dúvida podem se comunicar com o padre Antonio neste e-mail:  arivero@legionaries.org

fonte www.zenit.org

Share Button
Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2014 Apostolado Brasileiro | Unindo Católicos Brasileiros na Grande Boston.
Siga-nos:                   

Facebook